O TRESPASSAR DOS MUROS E O ALUMBRAR DA ESPERANÇA: O PROCESSO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E REINSERÇÃO SOCIAL DO PACIENTE PSIQUIÁTRICO

Eliseu Bahnert, Professora Orientadora Adriane Wollmann

Resumo


O movimento antimanicomial, objetiva-se na retirada dos pacientes internados em manicômios e que estavam em situações precárias, tanto para restituir os direitos humanos e reinserir socialmente, quanto criar serviços a princípio alternativos e posteriormente substitutivos, aprimorando os serviços de políticas públicas em saúde. O artigo procura analisar alguns desafios encontrados no processo de desinstitucionalização e quais os efeitos da reinserção social e atendimento extra-hospitalar. A partir de contribuições da literatura do campo, se torna evidente que grandes progressos existiram no que diz respeito aos serviços públicos responsáveis pelo atendimento e na forma de tratamento do sujeito em sofrimento psíquico. Mudanças foram realizadas e ainda devem ser feitas, para que os manicômios sejam desconstruídos e demandem a desconstrução das formas rígidas e hegemônicas de tratar e cuidar, que se atualiza e evidencia-se no cotidiano dos serviços substitutivos em certas práticas na frágil articulação da rede de saúde mental e sociedade.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.