Notícias

Chamada de artigo Revista Cadernos da Escola de Comunicação – dossiê “Orientalismos, colonialismos e identidades culturais na comunicação”

 

Caros colegas,


A Revista Cadernos da Escola de Comunicação (ISSN 1679-3366), do UniBrasil Centro Universitário, está recebendo até o dia 15 de outubro artigos para a edição 17, que conta com o dossiê “Orientalismos, colonialismos e identidades culturais na comunicação”, coordenado pelos editores convidados Alberto Klein, Márcia Neme Buzalaf e Mônica Panis Kaseker (UEL).

 

A revista, avaliada com qualis A2, é dirigida a pesquisadores, professores, profissionais e estudantes, e aceita a colaboração de doutores (ou doutores em parceria com doutorandos, mestres e mestrandos) para a produção de artigos, entrevistas e resenhas de livros.

 

 A análise dos artigos recebidos pela Revista Cadernos da Escola da Comunicação tem como base o sistema double blind review. As submissões serão recebidas tanto para o dossiê quanto para a seção de artigos livres, e devem ser feitas no site https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao

 

Abaixo, as orientações para submissão no dossiê:

 

DOSSIÊ “ORIENTALISMOS, COLONIALISMOS E IDENTIDADES CULTURAIS NA COMUNICAÇÃO”

O poder é a habilidade não apenas de contar a história de outra pessoa, mas de fazer que ela seja sua história definitiva.

Chimamanda Ngozi Adichie, O perigo da história única (2019)

 

Editores convidados:

Prof. Dr. Alberto Klein (UEL)

Profa. Dra. Márcia Neme Buzalaf (UEL)

Profa. Dra. Mônica Panis Kaseker (UEL)

 

As representações sobre o Outro carregadas de categorizações tendem a solidificar visões preconceituosas e pouco próximas dos grupos representados. Isso porque, segundo Peter Burke em Testemunha Ocular, grupos em contato com diferentes culturas tendem a ter duas possibilidades de comportamento: (1) assimilação - consciente ou não - deste Outro pela analogia, na busca de incorporar esta cultura; (2) negação – também consciente ou não - da outra cultura. A obra de Edward W. Said, Orientalismo, estabelece parâmetros amplos de como se dá este processo de representação do Outro, fundamentado, basicamente, na construção de estereótipos. Depois de estudar ao menos três séculos de literatura europeia e norte-americana, o autor detectou diferentes orientalismos que expunham as relações de poder na representação dos árabes. Estes diferentes orientalismos, no entanto, não oferecem visões amplas – constroem visões uníssonas e estereotipadas.

Este Dossiê pretende apresentar e discutir como o eurocentrismo contemporâneo é um resíduo discursivo do colonialismo e como os discursos midiáticos podem representar regimes de verdade que roubam e substituem identidades, por meio de suas vozes, estéticas e representações hegemônicas.

Aceita-se artigos e resenhas que contemplem a temática e estejam dentro das normas estabelecidas pelo UniBrasil.



Profa. Dra. Maura Oliveira Martins 
Editora da Revista Cadernos da Escola de Comunicação