Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao <p>Iniciada em 2003, a revista Cadernos da Escola de Comunicação do UniBrasil tem publicação atual e busca contribuir à pesquisa científica nas áreas de Comunicação, Design, Arquitetura e Letras. Aceita submissões de mestres e doutores na produção de artigos, revistas e resenhas de livros publicados na área. Na mais recente avaliação da CAPES, a revista foi validada com conceito Qualis A2.</p> <p>Tem como público alvo pesquisadores, estudantes e profissionais atuantes nas diversas áreas da Comunicação (Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas, Cinema), da Arquitetura e dos estudos em Literatura.&nbsp;</p> <p class="x_gmail-m_-4116745612739517868gmail-x_m_6289466408716021599x_MsoNormal">&nbsp;</p> <p class="x_gmail-m_-4116745612739517868gmail-x_m_6289466408716021599x_MsoListParagraphCxSpLast">&nbsp;</p> <p class="x_gmail-m_-4116745612739517868gmail-x_m_6289466408716021599x_MsoNormal">&nbsp;</p> <p class="x_gmail-m_-4116745612739517868gmail-x_m_6289466408716021599x_MsoNormal">A análise dos artigos recebidos pela Revista&nbsp;<span class="x_gmail-il">Cadernos</span> da Escola da Comunicação tem como base o sistema <em>double blind review</em>. Os artigos recebidos são inicialmente apreciados pelos editores e, ao estar de acordo com o escopo da Revista, com as normas para publicação e considerados como potencialmente publicáveis, são encaminhados, anonimamente, para os membros do corpo científico escolhidos pelos editores. Após a análise do artigo, os autores são notificados sobre a decisão do corpo científico.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Qualis Capes</strong>: A2 (<a href="/index.php/cadernoscomunicacao/about/editorialPolicies#custom-1">outros estratos</a>)<br><strong>Fundação: </strong>2003<br><strong>e-ISSN:</strong> 1679-3366<br><strong>Título Abreviado:</strong> Cad. Esc. de Com.<br><strong>email: </strong>cadernocomunicacao@unibrasil.com.br<br><strong>Editora: </strong><a href="http://www.unibrasil.com.br" target="_blank" rel="noopener">UniBrasil</a></p> pt-BR mauramartins@unibrasil.com.br (Maura Oliveira Martins) luizmartins@unibrasil.com.br (Luiz Fernando Martins) qua, 05 ago 2020 19:09:40 +0000 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Editorial https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5330 <p>Chegamos a mais uma edição da revista Cadernos da Escola da Comunicação, mantendo-os atrelados à proposta firmada em nosso escopo editorial: o de trazer aos pesquisadores uma abordagem inter e transdisciplinar sobre a Comunicação em seus processos, observando este atravessamento entre as esferas do conhecimento como uma realidade de nossa área de pesquisa. Neste sentido, nosso leitor será aqui contemplado por leituras atuais, construídas a partir de metodologias múltiplas, sobre os fenômenos comunicacionais que hoje se apresentam no cenário midiático.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Na abertura desta edição, apresentamos um texto elaborado por um autor convidado. O professor Rodolfo Stancki, em seu ensaio “Isso é falso?&nbsp; Limites entre a ficção e a vida diária em uma <em>fake news”, </em>enfrenta o tema da proliferação de notícias falsas sob o olhar do conceito da zona crepuscular, proposta em sua tese de doutorado. Assim, sugere uma leitura das <em>fake news </em>a partir da permeação entre fato e ficção em uma mesma narrativa.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Em seguida, apresentamos o primeiro artigo da revista. Em “Rede Sul Platina do Futebol: Reconquista AM 1220 e RWI em metamorfose”, dos autores Cristiane Finger e Ciro Götz, parte-se dos conceitos de “propagação da mídia”, de Henry Jenkins, e “radiomorfose”, de Nair Prata, para estudar, sob o âmbito da convergência, as dinâmicas de trabalho de duas rádios – uma uruguaia e outra brasileira.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Na sequência, o artigo “A forma flexível e inclusiva de fazer jornalismo da Geração Z”, de Zanei Barcellos e Patricia Gil, que se volta a uma pesquisa-criação com os jornalistas da chamada Geração Z para verificar como eles lidam com as tecnologias digitais emergentes.</p> <p>&nbsp;</p> <p>No terceiro artigo, intitulado “A periferia em pauta: uma pesquisa exploratória de conteúdo nas páginas do jornal popula Super Notícia”, de Mara Rovida Martini e Jennifer Lucchesi, atenta-se ao que chama de jornalismo periférico, investigando, por meio de uma pesquisa exploratória de conteúdo, se há um silenciamento de certas camadas periféricas da população mesmo dentro de um jornal tipo como popular.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Na quarta pesquisa apresentada nesta edição, os autores Juliane Martins, Letícia Salem Herrmann Lima e Ricardo Belinski discutem, no texto “A hibridização profissional como exigência para trabalhar na área da comunicação: análise de conteúdo de vagas divulgadas no LinkedIn”, uma leitura sobre o campo sob a ótica do mundo do trabalho e o hibridismo dos territórios profissionais. Investigam, portanto, a questão da empregabilidade na área da comunicação por meio de uma análise qualitativa de vagas divulgadas nesta rede social.</p> <p>No quinto artigo, voltamo-nos à interface da comunicação com o cinema. No texto “O diálogo intertextual entre Woody Allen e Federico Fellini nos filmes ‘Alice’ (1990) e ‘Giulietta Degli Spiriti’ (1965), os autores Denize Araújo e Alexandre Silva Wolf, no qual investigam o conceito de intertextualidade, cunhada por Julia Kristeva, dentro da obra cinematográfica dos dois diretores.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Em seguida, o artigo “Contos da maternidade: as novas dinâmicas maternas na literatura brasileira contemporânea”, de Ana Luiza de Figueiredo Souza, observa o êxito editorial da obra “A teta racional”, de Giovana Madalosso, associando-a às reconfigurações da maternidade no Brasil contemporâneo e refletindo sobre as mudanças nas práticas e valores associados ao tema.</p> <p>&nbsp;</p> <p>O sétimo trabalho tange a interface da área comunicacional e a cultura: em um artigo intitulado “Grandes marcas e o imaginário social da velhice”, os autores Álvaro Nunes Larangeira e Jeaniel Magno investigam a noção de velhice a partir do imaginário trazido em cinco campanhas publicitárias de grandes marcas, identificando os estereótipos vinculados a esta faixa etária.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Por fim, o artigo “Discussão política no Facebook: análise dos comentários no post do MBL sobre fiscalização de Crivella das HQs na Bienal do Livro”, do autor Gabriel Alexandre Bozza, propõe uma análise de conteúdo para investigar as reações públicas no caso do recolhimento dos exemplares da revista “Vingadores, a cruzada das crianças”, na referida Bienal. Propõe, assim, um mapa com seis categorias e 19 subcategorias que abrangem os retornos trazidos pelos internautas ao tema proposto.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Para encerrar, registramos aqui que a Revista Cadernos Escola da Comunicação foi reclassificada com o qualis A2, emitido pela CAPES, o que nos confere ainda mais seriedade e responsabilidade quanto às pesquisas divulgadas em nossas edições. Agradecemos, para isso, o trabalho essencial feito pelo corpo científico da revista, formado por pesquisadores do país todo, que avaliam as submissões por um sistema de <em>double blind review </em>e garantem que ela seja construída a partir de avaliações rigorosas.</p> Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5330 seg, 03 ago 2020 19:38:12 +0000 Isso é falso? - Limites entre a ficção e a vida diária em uma fake news https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5331 <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Rodolfo Stancki Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5331 seg, 03 ago 2020 19:46:15 +0000 Rede Sul Platina do Futebol: Reconquista AM 1220 e RWI em metamorfose https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5202 <p>Este trabalho pretende, sob o conceito de propagação da mídia por Jenkins (2014), radiomorfose, por Nair Prata (2008), com o apoio teórico de Ferraretto (2014) e Kischinhevsky (2012), apresentar um estudo de caso que reflita e provoque debates, no âmbito da convergência, sobre a dinâmica de trabalho entre duas plataformas diferentes: hertziana, com a Rádio Reconquista AM 1220, do Uruguai, e <em>web</em>, com a Rádio Web Independente, do Brasil, que formam a Rede Sul Platina do Futebol. Para análise, foi escolhido como recorte o jogo de abertura da Libertadores de 2018, entre Defensor Sporting e Grêmio.</p> <div><br /> <div><p> </p></div></div> Cristiane Finger Costa, Ciro Götz Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5202 seg, 03 ago 2020 19:48:05 +0000 A Forma Flexível e Inclusiva de Fazer Jornalismo da Geração Z https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5198 O artigo relata resultados de uma pesquisa-criação realizada no Brasil ao longo de 30 meses para averiguar como os jornalistas da Geração Z lidam com as tecnologias digitais emergentes para criar narrativas específicas em diferentes plataformas digitais. O estudo envolveu 125 estudantes universitários para a elaboração de um produto jornalístico multiplataforma a partir de princípios da pedagogia crítica de Paulo Freire. A pesquisa indicou que os jovens da Geração Z estabelecem parâmetros de uma “economia de tráfego” para suas histórias na internet, o que evita a fragmentação discursiva. Sua forma de produção segue seus hábitos de consumo de notícias, especificando narrativas e ferramentas próprias para cada plataforma. A gestão organizacional dos novos modelos jornalísticos a serem possivelmente chefiados por essa nova geração inclui a horizontalidade na tomada de decisões e modelos virtuais de Redação, flexibilizando e democratizando a produção. Para os participantes da pesquisa, imersos em um contexto de ameaça democrática no Brasil, a definição de pautas para os meios digitais decorre da problematização de temas que se contrapõem aos discursos hegemônicos das mídias tradicionais. Zanei Ramos Barcellos, Patrícia Guimarães Gil Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5198 seg, 03 ago 2020 19:50:00 +0000 A Periferia em Pauta: Uma Pesquisa Exploratória de Conteúdo nas Páginas do Jornal Popular Super Notícia https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5206 <p>O crescimento da produção jornalística em arranjos alternativos de mídia tem enfatizado a manutenção da ausência de certas perspectivas e vozes na narrativa tradicional da imprensa e como contraponto a demanda por esses espaços engajados. O chamado jornalismo periférico é um exemplo dessa questão. A pergunta que se faz diante de tal realidade é se a conotação estigmatizada e o constante silenciamento de parcelas da população contemporânea também se verifica em um jornal popular. Para dar conta desse questionamento, desenvolve-se neste trabalho uma pesquisa exploratória de conteúdo que busca analisar a forma como a periferia e os sujeitos periféricos são apresentados na narrativa do jornal popular <em>Super Notícia</em>.</p> Mara Rovida Martini, Jennifer Silva Lucchesi Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5206 seg, 03 ago 2020 19:50:53 +0000 A Hibridização Profissional como Exigência para Trabalhar na Área da Comunicação: Perspectiva a partir de Vagas Brasileiras Divulgadas no Linkedin https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5211 <p>O atual cenário digital tornou desafiador o mundo do trabalho em comunicação, correlacionando o campo com o marketing, no sentido de não se conseguir delimitar seus territórios, tornando as áreas híbridas. Este artigo teve por finalidade investigar as tendências de empregabilidade em comunicação, por meio dos requisitos de formação e de atuação profissional em oportunidades de trabalho oferecidas por organizações. Como embasamento teórico, utilizou-se principalmente Fernandez (2010), que relaciona a atuação profissional na área; Lupetti (2007), sob a ótica da comunicação integrada organizacional; e Kotler e Keller (2012), com os processos do marketing e da comunicação integrada de marketing. A escolha metodológica foi de natureza qualitativa, a partir de pesquisa documental em vagas divulgadas pela rede social digital LinkedIn para análise de conteúdo, realizada segundo a proposta de Bardin (2016). Entre os achados do estudo, percebeu-se que o mundo do trabalho não tem diferenciado um perfil de formação específico para o profissional que atua em comunicação, mas valoriza a educação superior, com destaque para o marketing e as áreas da comunicação; além de demandar experiência profissional, conhecimentos e habilidades relacionadas ao panorama digital contemporâneo.</p> Juliane Martins, Letícia Salem Herrmann Lima, Ricardo Belinski Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5211 seg, 03 ago 2020 19:51:57 +0000 O Diálogo Intertextual entre Woody Allen e Federico Fellini nos filmes"ALICE" (1990) e "GIULIETTA DEGLI SPIRITI" (1965). https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5214 <p dir="ltr">O cineasta Woody Allen tem um vasto trabalho que oferece muitas possibilidades de análise. Ele é reconhecido mundialmente por seu trabalho e por sua criatividade, que é posta à prova em todos os filmes que produz. Ele é considerado por alguns pesquisadores como o representante por excelência do cinema pós-moderno, que apresenta a paródia e a colagem como ferramentas da produção cinematográfica. A pluralidade de seu discurso nos permite pensar em seu trabalho como um exemplo de intertextualidade aplicada ao cinema. Julia Kristeva cunhou a palavra "intertextualidade" após o conceito de "dialogismo" de Bakhtin, quando as vozes interagem em um texto, não tendo a voz do autor como a única, como em um texto monológico, Kristeva também descreveu muitas vozes, mas não apenas dentro de um texto. Para ela, um novo texto pode revisitar mais dois textos, dando-lhes uma nova conotação, como paródia ou pastiche. Os filmes de Woody Allen constroem uma rede significativa, composta de anúncios, lembranças, correspondências, deslocamentos e saltos que fazem de sua narrativa um tecido de fios cruzados, nos quais seus elementos podem pertencer a muitos circuitos. Em "Alice" (1990), Allen dialoga intensamente com a obra "Giulietta degli spiriti" (1965), de Federico Fellini. Este trabalho pretende apresentar e analisar os diálogos intertextuais do primeiro diretor com o segundo, identificando o trabalho resultante como um produto cinematográfico original.</p> Denize Corrêa Araújo, Alexandre Silva Wolf Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5214 seg, 03 ago 2020 19:53:05 +0000 Contos da Maternidade: As Novas Dinâmicas Maternas na Literatura Brasileira Contemporânea https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5218 <p>Obras sobre a maternidade se tornaram mais comuns no mercado literário mundial, lançadas em cada vez maior quantidade no Brasil. Elogiado por público e crítica, A teta racional (2016, Grua), coletânea de contos de Giovana Madalosso, integra este cenário. O artigo relaciona o êxito editorial do livro a reconfigurações da maternidade no Brasil contemporâneo, sobretudo no que abrange a concepção de amor materno, a relação com o corpo, a ambivalência materna e a condição (não necessariamente voluntária) de não maternidade. Ao analisar a publicação de Madalosso, os objetivos do trabalho consistem em: a) investigar as representações maternas e não maternas presentes ao longo da coletânea; e b) relacioná-las a modelos maternos hegemônicos atuais e de períodos históricos anteriores, apontando rupturas e continuidades entre eles. Conclui-se que, por meio de uma obra de ficção baseada na vivência materna da autora, é possível refletir sobre novas práticas e valores ligados à maternidade. Ao mesmo tempo, verifica-se que a demanda por retratos maternos mais "sinceros", "transparentes" e "realistas", menos idealizados, se estende para além das narrativas pessoais de mulheres sobre a maternidade, chegando à ficção literária e ao mercado editorial brasileiros.</p> Ana Luiza de Figueiredo Souza Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5218 seg, 03 ago 2020 19:54:06 +0000 Grandes marcas e o imaginário social da velhice https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5229 <!-- P { margin-bottom: 0.21cm; } --> <p style="margin-right: -0.5cm; margin-top: 0.18cm; margin-bottom: 0.18cm;"><a name="_Hlk25683075"></a> Este artigo trata da constituição da noção de velhice a partir do imaginário refletido nas campanhas publicitárias de grandes marcas, que associam a ideia de velhice ao estereótipo de sujeito solitário, fadado ao isolamento comunicacional e que deprecia o tempo livre para investir em novos projetos. À vista disso, foram selecionadas cinco campanhas publicitárias entre 2013 e 2018, a fim de registrar as práticas comunicacionais utilizadas pelo idoso para se conectar com o mundo e identificar empiricamente os aspectos vinculados ao estereótipo da velhice. Dito isto, a visada está em apresentar uma análise teórica conexa à constituição do imaginário social de velhice, alinhada aos conceitos de Beauvoir; Debert; Durand; Marcuse; Moragas; Novaes; Wiener, entre outros.</p> Álvaro Nunes Larangeira, Jeaniel Carlos Magno Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5229 seg, 03 ago 2020 19:55:03 +0000 Discussão Política no Facebook: Análise dos Comentários no Post do MBL sobre Fiscalização de Crivella das HQS na Bienal do Livro https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5230 <p>Esse trabalho analisa comentários na postagem do Facebook do Movimento Brasil Livre (MBL) com o intuito de compreender a discussão política e radicalização a partir da polêmica envolvendo o prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (PRB). O político determinou uma fiscalização na Bienal Internacional do Livro com o recolhimento de exemplares da história em quadrinhos “Vingadores, a cruzada das crianças” que contém um beijo gay em suas páginas internas. A justificativa pela escolha do post do MBL é que gerou grande repercussão ao fazer uma postagem criticando a postura arbitrária do prefeito. O movimento é conhecido pelo conservadorismo e radicalização de suas estratégias digitais e após as eleições desembarcou do bolsonarismo. A nossa pesquisa (n=127) utiliza o procedimento metodológico de análise de conteúdo. Um livro de códigos com seis categorias e 19 subcategorias foi criado para analise dos comentários. Concluímos que o prefeito ganhou apoio e houve alta radicalização de opinião, proposição de temas e criticidade dos internautas.</p> Gabriel Alexandre Bozza Copyright (c) 2020 Cadernos da Escola de Comunicação https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/view/5230 seg, 03 ago 2020 19:56:13 +0000