GÊNERO E TERRITÓRIO: A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NAS PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE E A AFIRMAÇÃO DA TERRITORIALIDADE ENQUANTO ELEMENTO DE CIDADANIA

  • Georgeana Barbosa França
  • Julian Cassarino Perez
  • Katya Regina Isaguirre
  • Luciano Celso Brandão Guerreiro Barbosa
Palavras-chave: Gênero, Território, Sustentabilidade, Cidadania

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir de forma exploratória a relação entre gênero e território. Precisamente, busca-se compreender como a participação da mulher na conservação da biodiversidade e na transmissão dos saberes tradicionais se articula com a sustentabilidade e a manutenção do território. Essa temática é relevante diante do contexto de práticas de produção e consumo insustentáveis que nos deparamos na atualidade. Diante de padrões de desenvolvimento ambientalmente agressivos empreendidos em âmbito mundial, percebe-se que, por outro lado, localmente estão dispostas iniciativas que priorizam a sustentabilidade e se conectam às relações de gênero. Neste caso, é importante ressaltar que a participação da mulher não será aqui discutida enquanto seu “papel” na sociedade, ou ainda de maneira a ressaltar divisões sociais, mas, sobretudo, como afirmação de seu posicionamento, suas lutas, reivindicações e conquistas diante do contexto atual. Na perspectiva dialética, o presente artigo realiza uma investigação teórica acerca dos exemplos da realidade social que contextualizem as contribuições das mulheres para a conservação ambiental. As iniciativas dos movimentos das mulheres camponesas ou das quebradeiras de coco babaçu explicitam esta relação para, como resultados parciais, articulá-los com a sua relevância para a manutenção do território e para a sustentabilidade. Deste modo, a visibilidade das práticas ambientais promovidas pelas mulheres permite concluir, ainda que inicialmente, a importância do pluralismo de gênero para uma genuína ordem democrática, entendendo estas ações como uma afirmação de cidadania.
Publicado
2015-03-04
Seção
Seção Especial