PROTESTOS NA VENEZUELA E A BUSCA DO DIÁLOGO

  • Eduardo Biacchi Gomes Centro Universitário Autonomo do Brasil
  • Luís Alexandre Carta Winter
  • Amélia Sampaio Rossi

Resumo

Desde o começo do ano de 2014, a República Bolivariana da Venezuela vive a sua primeira crise política e institucional da era pós Hugo Chaves, tendo em vista a dificuldade de seu sucessor – Nicolás Maduro -  em buscar a tão prometida estabilidade política, econômica e social naquele país.

As naturais dificuldades, encontradas por Nicolás Maduro, decorrem da natural falta de carisma do atual Presidente, que diferentemente do mito Hugo Chávez não possui a mesma oratória e articulação política e a necessidade de se promover o devido diálogo com a oposição.

Não obstante as ondas de protestos que ocorrem naquele país, o que se verifica é uma classe média insatisfeita com a situação econômica e social existente na Venezuela, ante a falta de produtos básicos e de primeira necessidade, assim como o controle estatal exercido sobre a mídia.

Por outro lado, não se pode olvidar que com a ascensão de Hugo Chávez ao poder no ano de 1998, com a promessa de governar para os pobres, dentro dos discursos populistas dos líderes latino-americanos.

Dentro de seu governo, efetivamente, houve avanços sociais naquele país e que possibilitou a melhor distribuição de renda e o acesso aos produtos de produtos de primeira necessidade e bens de consumo aos pobres.

Com base no sucesso de seu projeto do bolivarianismo, Hugo Chavez passou a empreender inúmeras reformas sociais e constitucionais, sempre referendadas pelos eleitores.

Do ponto de vista formal, constata-se que o processo democrático na Venezuela é observado e não cabe a nós (juristas que não vivenciamos o dia a dia naquele país) questionarmos de forma direta a condução das políticas venezuelanas, tendo-se como base os nossos valores democráticos.

Concretamente, o que se constata nos dias de hoje é a existência  de uma sociedade extremamente dividida. De um lado a classe média, insatisfeita com as políticas sociais de Nicolás Maduro, de outro lado a classe mais baixa e que apóia o governo venezuelano, tendo em vista a melhora nas condições de vida e que refletiram no acesso aos bens e gêneros de primeira necessidade.

A comunidade internacional, especialmente a América do Sul, assiste a tudo preocupada, com receio de que a instabilidade política possa acarretar na ruptura do governo de Nicolás Maduro possa causar uma séria crise política, é o que o presente artigo pretende examinar.
Publicado
2016-11-09
Como Citar
Gomes, E. B., Winter, L. A. C., & Rossi, A. S. (2016). PROTESTOS NA VENEZUELA E A BUSCA DO DIÁLOGO. Cadernos Da Escola De Direito, 2(23), 2-7. Recuperado de https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernosdireito/article/view/3000
Seção
Artigos do Corpo Docente