Trabalho Infantil: a esperança e o menino da olaria

  • Célio Horst Waldraff

Resumo

Segundo o IBGE o percentual de crianças e adolescentes que trabalham em nosso país, na década de 1990, "na faixa de 10 a 14 anos, a taxa caiu de 22,4% para 16,6%, na década e, mo grupo de 15 a 17 anos, de 54,3% para 44,6%. Ou seja, se tais estatísticas estão corretas, o avanço na questão da eliminação do trabalho infantil em nosso país na década de 1990 foi extraordinário. Tais conquistas, evidentemente desafiam qualquer concepção que afirme a capacidade de o mercado auto-regular e oferecer soluções justas para o problema. Iniciativas tais como o Estatuto da Criança e do Adolescente e, na esteira, inúmeras iniciativas estatais e não-governamentais, foram capazes de amenizar a dimensão monstruosa deste problema.
Publicado
2017-03-17
Seção
Artigos do Corpo Docente