A GESTALT-TERAPIA E OS SONHOS: UMA RELAÇÃO DE EXPERIÊNCIA E ENCONTRO COM A EXISTÊNCIA

  • Patrícia Gonçalves Fochesato Unibrasil
  • Fernanda Guedes
  • Gabrielle Linhares Lopes
  • Thamise Rodrigues
  • Loivo José Mallmann
Palavras-chave: sonhos; gestalt-terapia; manejo clínico

Resumo

Os sonhos permitem ao ser humano uma conexão com sua existência, sendo na Gestalt-terapia uma oportunidade para a análise de diferentes fenômenos, os quais a partir do olhar do sonhador ganham significado e revelam gestalts que necessitam de fechamento, mas que dependem do processo de interação existencial. O presente estudo tem como objetivo apresentar uma pesquisa bibliográfica, abordando a forma como as vivências oníricas são percebidas a partir Gestalt-terapia, delineando um panorama de técnicas utilizadas como a cadeira quente e cadeira vazia no processo de exploração dos sonhos durante o atendimento clínico, tendo o terapeuta como suporte para o estabelecimento de uma relação com o aqui e agora, contribuindo para a constituição da awareness. Concomitante à pesquisa bibliográfica qualitativa, realizou-se uma pesquisa por meio de formulário eletrônico composto por perguntas abertas e fechadas com foco no levantamento de dados quanto a relação das pessoas para com os sonhos, a pesquisa contou com a participação de 249 respostas, explorando aspectos como sua frequência, elementos que se apresentam, prática de relato, percepções e significados. O resultado evidenciou que existe uma relação entre o sujeito e os sonhos, o qual contempla diferentes momentos da vida e posturas diante da experiência, provocando inquietações, mobilizando reflexões e busca por sentido, variando no modo de ver, perceber e interagir com este processo em suas manifestações.

Biografia do Autor

Patrícia Gonçalves Fochesato, Unibrasil

Formada em Pedagogia pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL - Curitiba/PR), possui especialização em Gestão Escolar pela Faculdades de Pinhais (FAPI - Pinhais/PR) e Direito Educacional pela Faculdades ITECNE (Curitiba/PR). É graduanda do curso de Psicologia pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL – Curitiba/PR). Endereço eletrônico:patriciagfochesato91@gmail.com

 

Fernanda Guedes

É graduanda do curso de Psicologia pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL – Curitiba/PR).Endereço eletrônico:fernandaguedes0804@gmail.com

Gabrielle Linhares Lopes

É graduanda do curso de Psicologia pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL – Curitiba/PR). Endereço eletrônico:gabriellelinhares@outlook.com

Thamise Rodrigues

Formada em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR- Curitiba/PR), tem especialização em Direito Educacional pela Faculdades Itecne (Curitiba/PR). É graduanda do curso de Psicologia pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL – Curitiba/PR). Endereço eletrônico: thamise.rodrigues@gmail.com

 

Loivo José Mallmann

Mestre em Teologia Moral pela Universidad Pontifícia Comillas (UPCO-Madri), licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), graduado em Filosofia e Teologia pela Faculdade dos Jesuítas (FAJE-Belo Horizonte - MG) e graduado em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor colaborador do Centro Universitário Autônomo do Brasil (UNIBRASIL – Curitiba/PR). Endereço eletrônico: loivojose@hotmail.com

Referências

JOYCE, P.; SILLS, C. Técnicas em Gestalt: aconselhamento e psicoterapia. Tradução de Vera Joscelyne. Petrópolis: Vozes, 2016.

JULIANO, J. C. A arte de restaurar histórias: o diálogo criativo no caminho pessoal, São Paulo: Summus, 1999.

MAGALHÃES, F.; MATARUNA, J. Sono. In: JANSEN, JM., et al., orgs. Medicina da noite: da cronobiologia à prática clínica [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007, p. 103-120. ISBN 978-85-7541-336-4. Disponível em: < http://books.scielo.org/id/3qp89/pdf/jansen-9788575413364-09.pdf> Acesso em: 14 de setembro de 2020.

MARTINS, A. Manual prática de psicoterapia Gestalt. Tradução de Lucia M. Endlich. Petrópolis: Rio de Janeiro, Vozes, 2008.

MARTUCELLI, F.A.G. O mundo onírico e o mundo desperto: o desdobramento da expressão existencial. In: FRAZÃO, Lilian Meyer; FUKUMITSU, Karina Okajima (org.). Situações clínicas em Gestalt-terapia. São Paulo: Summus, 2019. p. 59 – 74. (Gestalt-terapia: fundamentos e práticas - v. 6)

PERLS, F. Isto é Gestalt. Tradução: G. Schlesinger & M. J. Kovacs. 6 a. ed., São Paulo: Summus,1977.

POLSTER, E.; POLSTER, M. Gestalt terapia integrada. [tradução de Sônia Augusto]. São Paulo: Summus, 2001

RIBEIRO. J. P. Conceito de Mundo e de pessoa em Gestalt‐terapia: revisitando o caminho. São Paulo: Summus, 2011.

SÁ, J. F. R. de. Sonho e sono REM: quatro teorias contemporâneas sobre a função da experiência onírica. Monografia apresentada ao Curso de psicologia, Universidade Salvador. Salvador, 2008. Disponível em: < https://www.academia.edu/5134330/Sonho_e_sono_REM_quatro_teorias_co ntempor%C3%A2neas_sobre_a_fun%C3%A7%C3%A3o_da_experi%C3%AAncia_on%C3%ADrica> Acesso em: 08 de junho de 2020.

SANTANA, D. da S.; YANO, L.P. Experimentos em gestalt-terapia: os sonhos como recurso integrativo. Revista do NUFEN. v.6, n.2. Pará: 2014. Disponível em:< http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-25912014000200007> Acesso em: 07 de junho de 2020.

SANTOS, I. P. A. (2004). Fenomenologia do onírico: A gestalt-terapia e a daseinsanálise. Psicologia: Ciência e Profissão, 24(1), 36-43. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932004000100005&script=sci _abst ract&tlng=pt> Acesso em: 06 de junho de 2020.

YONTEF, Gary M. Processo, Diálogo e Awareness. Tradução Eli Stern. São Paulo: Summus, 1998.
Publicado
2021-06-11
Seção
Psicologia

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)