QUANTIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRUPOS DE METABÓLITOS SECUNDÁRIOS PRESENTE NO EXTRATO BRUTO E FRAÇÕES DE Punica granatum L. OBTIDOS POR MACERAÇÃO

  • Lucas Francisco Siqueira DA CRUZ
  • Caroline Schmitt FERREIRA
  • Jéssica SARNIK
  • Ranieri CAMPOS
  • Cristina Peitz DE LIMA
Palavras-chave: Punica granatum, Romã, Metabólitos secundários

Resumo

Há muito tempo vem se relatando o uso de plantas para o tratamento de inúmeras doenças tanto pela sua eficácia quanto pelo seu fácil acesso e baixo custo. A espécie Punica granatum, conhecida popularmente como romã pertence à família botânica Punicaceae. Conhecida como romãnzeira ou romã, esta espécie é amplamente utilizada para fins medicinais e alimentícios, apresentando alto potencial antioxidante, determinado no extrato da casca, da semente e do suco da planta. É uma espécie que está sendo cultivada em todo mundo, inclusive no Brasil, e apresenta potencial medicinal principalmente pela presença de flavonoides e compostos fenólicos. Esse trabalho descreve o preparo do extrato bruto hidroalcoólico, e o particionamento, das folhas da romã e quantificação dos teores de metabólitos secundários. O conteúdo total de metabólitos foi determinado pelos métodos clássicos em fitoquímica. As clorofilas, carotenoides, fitoesteroides, taninos, cianidinas, flavonoides e fenólicos totais foram quantificados para o extrato bruto e as frações hexano, clorofórmio, acetato de etila e remanescente. Pode perceber pelos resultados que como esperado as clorofilas e os carotenoides acumularam-se nas frações menos polares. A fração hexano apresentou o teor de 11,31mg/g de clorofila total e 514,27mg/g de carotenoides. Estes pigmentos também foram quantificados na fração clorofórmio, com o teor de 5,67mg/g de clorofilas totais. Para esta fração pode-se perceber também o acúmulo significativo dos pigmentos carotenoides na concentração de 284,84mg/g, também encontrados no extrato bruto, um teor de 5,29mg/g de clorofila total e 298,92mg/g de carotenoides. Outro grupo de metabólitos encontrado nestas duas frações, hexano e clorofórmio, foram os fitoesteróis. Do total de fitoesteróis detectados, 53,39% foram encontrados na pesquisa da fração hexano e somente 46,61% estavam presentes na fração clorofórmio. Cabe salientar que estas classes de moléculas foram às únicas detectadas para estas frações. Os grupos de substâncias fenólicas também foram quantificados. Dentre estas classes destacam-se os flavonoides, as antocianinas e os taninos. Esses grupos apresentam um alto potencial antioxidante, sendo utilizados para prevenir diversas doenças. Observou-se o acúmulo dos flavonoides (499,26mg/g) somente na fração acetato, juntamente com taninos (1,44mg/g). Prosseguindo-se na análise dos teores de grupos de metabólitos, a fração remanescente foi a única fração a apresentar antocianinas (1,75mg/g), além de taninos (0,722mg/g).
Publicado
2016-06-14

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>