Fatores que influenciam o processo terapêutico na abordagem da psicologia corporal

  • Valéria Ferreira Bernstorff
  • Cristian Alencar
Palavras-chave: Psicologia Corporal, Resistência, Sensação de Órgão, Setting Terapêutico, Vínculo Afetivo

Resumo

Este artigo foi embasado em pesquisa bibliográfica com ênfase na abordagem de psicologia corporal. Tem por objetivo apresentar fatores de grande relevância ao processo psicoterapêutico como, por exemplo, o comportamento do psicólogo nos primeiros contatos com seus pacientes, os cuidados que devem ser tomados durante todo o processo psicoterapêutico, o ambiente físico em que os atendimentos acontecem e sua influência na relação estabelecida entre psicólogo e paciente, assim como a importância do trabalho psicoterapêutico ao qual o psicólogo deve se submeter para que seus conteúdos emocionais não interfiram negativamente durante as sessões de seus pacientes além de meios para trabalhar a relação de transferência e contratransferência de cada paciente. Apresentam-se também possíveis formas de perceber e lidar com resistências durante os atendimentos para obter resultados positivos com os pacientes. Além disso, é apresentada a necessidade do psicólogo entrelaçar seu conhecimento teórico com a história de vida do indivíduo que inicia seu processo psicoterapêutico sem agir de forma mecanicista, dando atenção aos detalhes subjetivos de cada um dos pacientes sem categorizá-los ou tratá-los somente com os recursos de técnicas, mas sim como indivíduos únicos com um corpo que se expressa e com uma história de vida diferente de todos os demais pacientes ou casos previamente vistos. Da mesma forma, apresentam-se alguns modelos de como se relacionar com o paciente com o objetivo de estabelecer um vínculo emocional saudável, o que na maioria das vezes apresenta como resultado o desaparecimento dos sintomas que o levaram a buscar o auxílio de um psicólogo.
Publicado
2017-03-14
Seção
Artigo Original