CONHECIMENTO SOBRE EPILEPSIA EM UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DA SAÚDE: REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Priscila de Souza UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo, IMREA - Instituto de Medicina Física e Reabilitação
  • Natália Cristina de Oliveira UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo
Palavras-chave: epilepsia, estudantes universitários, conhecimento

Resumo

A epilepsia é uma doença neurológica comum. Segundo a classificação internacional das crises epiléticas, é definida como uma descarga elétrica excessiva desorganizada no cérebro, que pode ser dividida em três grupos de crises: parciais ou focais, generalizadas e não classificáveis. Estima-se que 8 em cada 1000 pessoas em todo o mundo tenham epilepsia. Embora seja uma doença bastante prevalente, a epilepsia ainda é cercada por preconceitos e estigmas. Assim, o objetivo deste estudo foi identificar o conhecimento dos estudantes universitários da área da saúde em relação à epilepsia. Foi realizada revisão sistemática da literatura dos últimos anos (2000 - 2014). Para tanto, a estratégia de busca utilizou descritores de acordo com a nomenclatura MeSH (epilepsy, student, university student and knowledge) nas bases de dados PubMed, Lilacs, Scielo e ProQuest. A busca resultou em 3 artigos cujos autores pesquisaram universitários da saúde do Brasil e Jordânia. Em todos eles, o conhecimento sobre a doença foi considerado insuficiente. Os estudantes universitários não têm recebido adequado conhecimento sobre epilepsia em sua formação. Eles representam uma parcela importante da sociedade, pois se tornarão profissionais da saúde vetores de informação. O conhecimento sobre a doença pode influenciar suas atitudes e a de outras pessoas perante a epilepsia.

Biografia do Autor

Priscila de Souza, UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo, IMREA - Instituto de Medicina Física e Reabilitação

Aluna do Mestrado em Promoção da Saúde do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP). Fisioterapeuta do Instituto de Medicina Física e Reabilitação (IMREA) - Rede Lucy Montoro.

Natália Cristina de Oliveira, UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo
Docente e Pesquisadora do Mestrado em Promoção da Saúde
Publicado
2017-08-24
Seção
Artigo Original