ADEQUAÇÃO DA INGESTÃO DE MICRONUTRIENTES EM CRIANÇAS DE IDADE ESCOLAR

  • Eduarda Vicente Cristofari
Palavras-chave: criança, micronutrientes, carência, antropometria.

Resumo

Cada micronutriente possui uma finalidade específica e contribui de forma diferente e única para o bom funcionamento do organismo, promovendo a homeostase. A criança que possui ingestão inadequada de micronutrientes sofre consequências a curto, médio e longo prazo, como por exemplo: redução da capacidade cognitiva, alterações no sistema imunológico, dificuldades na realização das reações químicas e aumento das infecções. O presente estudo teve como objetivo a realização de uma análise quantitativa do consumo alimentar dos escolares e fez-se mediante aplicação de diário alimentar. Foi realizada avaliação antropométrica, classificando os escolares de acordo com os percentis de IMC/I e E/I e avaliou-se a ingestão diária de micronutrientes conforme as recomendações de Ingestão Dietética de Referência. Um total de 43 escolares foram avaliados e conforme o IMC/I, 39,0% deles encontrava-se em sobrepeso e obesidade. De acordo com a E/I, 40,0% dos escolares estavam abaixo da estatura considerada ideal. No que tange a avaliação da ingestão alimentar, no sexo feminino prevaleceu a inadequação de ferro 71,4%, niacina 57,1% e zinco 57,1%. No sexo masculino, predominou a ingestão de quantidades inadequadas de Cálcio 55,1% e Zinco 55,1%. O sexo não influenciou a ingestão de micronutrientes. Todavia, é de suma importância reconhecer o estado nutricional das crianças, para que seja possível uma intervenção precoce e evitar possíveis danos à saúde.

Biografia do Autor

Eduarda Vicente Cristofari
Nutrição  infantil

Referências

APOLINARIO, Letícia de Araújo et al. Desnutrição infantil: fatores culturais e socioeconômicos. Revista Médica de Minas Gerais. Minas Gerais, v. 21, n. 3, p. 115-118, 2011.

BATISTA FILHO, Malaquias; RISSIN, Anete. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Caderno Saúde Pública. Rio de Janeiro, v.19, n.1, p. 181-191, 17 jan. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: <http://dab.saude.gov.br/portaldab/amamenta.php>. Acesso em. 03 set. 2019.

CAMPOS, Lício de Albuquerque; ALMEIDA, Paulo César. Nível socioeconômico e sua influência sobre a prevalência de sobrepeso obesidade em escolares adolescentes do município de Fortaleza. Revista Nutrição. Campinas, v.19, n. 5, p. 531-538, 14 ago. 2006.

CARVALHO, Carolina Abreu et al. Consumo alimentar e adequação nutricional em crianças brasileiras: revisão sistemática. Revista Paulista de Pediatria. São Paulo, 2015, v. 33, p 21.

DE FRANÇA, Natasha Aparecida Grande et al. Carência de cálcio e vitamina D em crianças e adolescentes: uma realidade nacional. Anais do 2° Congresso Internacional Sabará de Especialidades Pediátricas. Blucher Medical Proceedings. Belo Horizonte, v. 4, n.1, p. 154-61, nov. 2014.

FARIAS, Jamilla Fernandes de Miranda. Fatores que acometem a desnutrição infantil e ações para sua prevenção. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva.Teófilo Otoni, 2012.

FISBERG, Mauro et al. Hábito alimentar nos lanches intermediários de crianças escolares brasileiras de 7 a 11 anos: estudo em amostra nacional representativa. International Journal of Nutrology, v.9, n.4, p. 225-236, Set / Dez 2016.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008- 2009: Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil. Rio de Janeiro. IBGE. 2010. 130p. Disponível em: Acesso em: 03 set. 2019.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Pesquisa de orçamentos familiares – medidas antropométricas de crianças e adolescentes, 2002/2003. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2002/defaultshtm>. Acesso em: 01 nov. 2018.

LEÃO, Lara Saraiva, CARDOSO, Felipe de Souza. Efeitos do consumo de cálcio na composição corporal e perda de peso em adultos. Revista Brasileira de Ciência Saúde/Revista de Atenção à Saúde, São Paulo, 2014;12(40):69-73.

LOPES, Jaqueline Miranda et al. Avaliação da adequação de ferro, cálcio, vitamina a e vitamina c da merenda ofertada a pré-escolares em um centro educacional público de viçosa, MG. Anais VII SIMPAC. Viçosa- MG, v.7 - n.1, p. 100-105, jan/ dez. 2015.

MACHADO, Mick Lennon et al. Adequação normativa dos planos estaduais de segurança alimentar e nutricional no Brasil. Cadernos de Saúde Pública: Rio de Janeiro, 2018.

MENDES, Luciane Vanessa. As consequências da desnutrição no desenvolvimento físico e mental infantil. Fundação Telefônica. Brasil, 2 de dez 2016.

MIGLIOLI, Teresa Cristina. et al. Fatores associados ao estado nutricional de crianças menores de cinco anos. Revista Saúde Pública. São Paulo, v. 49, n. 1, p. 1-8, 2015.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Manual de atendimento da criança com desnutrição grave em nível hospitalar / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição – Brasília: Ministério da Saúde, 2005.144 p.

MONTEIRO, Carlos Augusto et al. Causas do declínio da desnutrição infantil no Brasil, 1996-2007. Revista Saúde Pública. São Paulo, v.43, n. 1, p. 35-43, 2009.

NETTO-OLIVEIRA, Edna Regina et al. Sobrepeso e obesidade em crianças de diferentes níveis econômicos. Revista Brasileira Cineantropometria e Desempenho Humano. Santa Catarina, v. 12, n.2, p.83-89, 09 jun. 2010.

PEDRAZA, Dixis Figueroa et al. Estado nutricional de micronutrientes de crianças segundo características pessoais e das creches. Caderno de Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, 2016.

PNAE. Programa Nacional de Alimentação Escolar. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pnae>. Acesso em 02 set. 2019.

PNAN. Programa Nacional de Alimentação e Nutrição. Disponível em: <http://dab.saude.gov.br/portaldab/acoes_estrategicas_pnan.php>. Acesso em: 01 set. 2019.

REIS, Caio Eduardo; VASCONCELOS, Ivana Aragão; OLIVEIRA, Odete Maria. Panorama do estado antropométrico dos escolares brasileiros. Revista Paulista de Pediatria, v. 29, núm. 1, março, 2011, pp. 108-116. Sociedade de Pediatria de São Paulo. São Paulo, Brasil.

RIBAS, Marcelo Romanovitch et al. Perfil de macro e micronutrientes na dieta de escolares do ensino fundamental. Revista UNIANDRADE. Curitiba, 2017, pp 66-73.

SANTOS, Braga José Lucas et al. Estado nutricional, sinais clínicos de carências nutricionais e vulnerabilidade social entre crianças do semiárido paraibano. DEMETRA: alimentação, nutrição & saúde. Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p 1031-1048, 25 mai. 2016.

VITOLO, Marcia Regina. Nutrição da gestação ao envelhecimento. 2. Ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2015.

Publicado
2020-07-10
Seção
Nutrição