Análise microbiológica e físico-química de amostras secas de camomila, Matricaria recutita (l.), asteraceae, comercializadas em Curitiba, Paraná

  • Jéssica Dias Rodrigues
  • Cristina Peitz de Lima
Palavras-chave: Camomila Matricaria recutita, planta medicinal, análise microbiológica, controle de qualidade

Resumo

A camomila Matricaria recutita L., Asteraceae, é uma das plantas medicinais com maior cultivo e envolvimento de produtores rurais. É empregada como medicamento fitoterápico, cicatrizante, adstringente, antiinflamatório e emoliente. O presente trabalho teve como objetivo analisar cinco amostras de camomila, comercializadas em Curitiba, Paraná, provenientes de ervanários, farmácias e supermercados. Foram realizadas análises de pureza como teor de cinzas, umidade e material estranho à planta, além de análises microbiológicas, avaliando a contagem total de bactérias, fungos e leveduras, coliformes e ausência de Salmonella. Todas as amostras foram aprovadas em relação ao teor de cinzas e contagem total de bactérias. Porém, das cinco amostras analisadas, três ultrapassaram o teor de água permitido. Na análise de material estranho três amostras foram reprovadas. Todas as amostras foram reprovadas em relação ao teor de fungos e leveduras, duas foram reprovadas pela quantidade de coliformes totais e pela presença de Salmonella. Estes dados revelam que a qualidade das amostras encontra-se comprometida e sugerem que contaminação possa ter origem na colheita, armazenamento, secagem ou manipulação inadequados. A comercialização destes produtos, sem a qualidade esperada, é fato preocupante, implicando riscos à saúde, uma vez que estes são utilizados por uma grande parcela da população, como recurso terapêutico.

Publicado
2017-03-14
Seção
Artigo Original