AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DE INCLUSÃO DE INDIVÍDUOS COM MIELOMENINGOCELE E DE SEUS FAMILIARES

  • Ana Paula Nunes Centro Universitário Autônomo do Brasil - Unibrasil
  • Vanessa Santos Vieira Salles Centro universitário Autônomo do Brasil -Unibrasil
  • Danieli Isabel Romanovitch Ribas Centro Universitário Autônomo do Brasil - Unibrasil

Resumo

Introdução: Na mielomeningocele ocorrem distúrbios neurológicos, ortopédicos, renais entre outros que colaboram para que estes indivíduos enfrentem dificuldades em relação a suas atividades de vida diária, fazendo com que, essas pessoas se sintam cada vez mais exclusas da sociedade. Objetivos: Avaliar a percepção da inclusão social, familiar e escolar, de indivíduos com mielomeningocele e de seu responsável para que assim estratégias de inclusão sejam propostas. Métodos: Estudo transversal, realizado com 22 indivíduos, sendo 11 adolescentes com média de idade de 15,2 ± 2,2 anos e 11 responsáveis com média de idade de 46,5 ± 6,8 anos. Os participantes selecionados, após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e de Assentimento, foram avaliados em relação à percepção da inclusão nos domínios familiar, escolar e social, por meio de um questionário elaborado pelas pesquisadoras, o qual foi aplicado apenas uma vez. O mesmo foi composto por 15 questões apresentando quatro alternativas de respostas, que iniciavam com alternativas de respostas partindo da negativa para positiva. Para cada resposta foi atribuída uma pontuação a qual variou de zero a três pontos. Portanto, a pontuação mínima para o questionário foi igual a zero e a máxima igual a 45 pontos. Quanto mais próximo de 45 pontos maior a percepção de inclusão do indivíduo. Os resultados coletados foram analisados, por meio, da estatística descritiva. Resultados: Os adolescentes com mielomeningocele apresentam maior percepção de inclusão para o domínio familiar (58,18%) seguido do social (54,55%) e escolar (44,16%). Em relação aos responsáveis pelos adolescentes, também é notado que o domínio familiar predomina em relação aos demais (50%), quando considera-se a percepção quase sempre e sempre, verifica-se que 77,27% dos responsáveis sentem-se inclusos no ambiente familiar. O contrário ocorre para o domínio escolar, onde 48,48% não se sente incluso quando considerado as respostas não incluso e raramente incluso. Conclusão: Os participantes sentem-se inclusos no âmbito familiar, escolar e social, porém, o âmbito escolar é o local onde tanto o adolescente como os seu responsável percebe maior ausência de inclusão

Biografia do Autor

Ana Paula Nunes, Centro Universitário Autônomo do Brasil - Unibrasil

Acadêmica do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Autônomo do Brasil (Unibrasil)

Vanessa Santos Vieira Salles, Centro universitário Autônomo do Brasil -Unibrasil
Acadêmica do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Autônomo do Brasil (Unibrasil).
Danieli Isabel Romanovitch Ribas, Centro Universitário Autônomo do Brasil - Unibrasil
Doutora em Medicina Interna (UFPR). Mestre em Tecnologia em Saúde (PUCPR). Especialista em Traumato Ortopedia  e Desportiva (TUIUTI-PR). Docente do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Autônomo do Brasil (Unibrasil).
Publicado
2020-02-11
Seção
Artigo Original