SENTIMENTOS PATERNOS, DA GESTAÇÃO AO PARTO:

UMA REVISÃO NARRATIVA

  • Marlise Lima Brandão Centro Universitário Autônomo do Brasil https://orcid.org/0000-0002-2367-2390
  • Ivone da Costa Centro Universitário Autônomo do Brasil
  • Ana Carolina Rocha Maçaneiro Amarante Centro Universitário Autônomo do Brasil
  • Juliane Aparecida Candido Centro Universitário Autônomo do Brasil
Palavras-chave: Sentimentos, Pai, Paternidade, Comportamento Paterno

Resumo

Introdução: Desde muito cedo o bebê percebe a presença paterna diferentemente da materna e essa relação traz grandes benefícios à saúde mental da criança. Objetivo: Identificar os sentimentos relacionados a paternidade, de um pai que acompanha a gestação e/ou pré-natal, trabalho de parto e parto. Metodologia: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura, composta por nove artigos, com busca realizada na SciELO e Google Acadêmico, nos meses de agosto a setembro de 2020, com artigos publicados no período de 2010 a 2019. Resultados: Os principais sentimentos relatados pelos homens/pais são: satisfação, angústia, alegria, expectativa, preocupação, estresse, medo, ansiedade, felicidade e impotência, muitas vezes ignoradas ou suprimidas para dar suporte à parturiente. Considerações finais: os profissionais de saúde devem estimular a participação do homem/pai, seja no pré-natal, parto ou puerpério, para que seja participativo no cuidado, reforçando o sentimento de responsabilidade e fortalecimento do vínculo entre pai e filho.

Biografia do Autor

Marlise Lima Brandão , Centro Universitário Autônomo do Brasil

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Docente do Centro Universitário Autônomo do Brasil - UniBrasil.

Ivone da Costa, Centro Universitário Autônomo do Brasil

Enfermeira. Graduada pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil - UniBrasil.

Ana Carolina Rocha Maçaneiro Amarante, Centro Universitário Autônomo do Brasil

Enfermeira. Graduada pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil - UniBrasil.

Juliane Aparecida Candido, Centro Universitário Autônomo do Brasil

Enfermeira. Graduada pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil -  UniBrasil.

Referências

1. Benazzi AST, Lima ABS, Souza AP. Pré-natal masculino: um novo olhar sobre a presença do homem. Rev Polít Públ. [Internet]. 2011 [citado 2020 Abr 03]; 15(2):327-333. Disponível em: .

2. Ribeiro JP, Gomes GC, Silva BT, Cardoso LS, Silva PA, Santiago IS. Participação do pai na gestação, parto e puerpério: Refletindo as interfaces da assistência de enfermagem. Rev Espaço Saúde. [Internet]. 2015 [citado 2020 Mar 28]; 16(3): 73-82. Disponível em: .

3. Ferreira AD, Martendal MLN, Santos CMS, Birolo IVB, Lopes R. Participação do pai no nascimento: sentimentos revelados. Inova Saúde. [Internet] 2014 [citado 2020 Abr 09]; 3(2):16-36. Disponível em: .

4. Diário Oficial da União (BR). Lei nº 11.108 de 7 de abril de 2005. Dispõe sobre o direito às parturientes à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS., Brasília (DF). 8 abr 2005.

5. Melo RM, Angelo BHB, Pontes CM, Brito RS. Conhecimento de homens sobre o trabalho de parto e nascimento. Rev Anna Nery. [Internet]. 2015 [citado 2020 Mar 28]; 19(3): 454-459. Disponível em: .

6. Cabral YP, Pereira LPS, Souza NS, Mota SMA, Santos MS. Pré-natal masculino: estratégia de promoção à saúde do homem. In: I Congresso de Saúde DeVry UNIFAVIP – “Saúde Humanizada: sujeitos, práticas e perspectivas em busca de uma qualidade de vida em sociedade", [Internet]. 2015. [citado 2020 nov 02]; p. 585-586. 2015. Disponível em: .

7. Henz GS, Medeiros CRG, Salvadori M. A inclusão paterna durante o pré-natal. Rev Enferm Atenção Saúde. [Internet]. 2017 [citado 2020 Mar 28]; 6(1): 52-66. Disponível em: .

8. Herrmann A, Silva ML, Chakora ES, Lima DC. Guia do Pré-Natal do Parceiro para Profissionais da Saúde. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde (BR); 2016

9. Zampieri MFM, Guesser JC, Buendgens BB, Junckes JM., Rodrigues IG. O significado de ser pai na ótica de casais grávidos: limitações e facilidades. Rev Eletr Enferm. [Internet]. 2012 [citado 2020 Mar 28]; 14(3), 94-119. Disponível em: .

10. Haslinger C, Bottoli C. Tornar-se pai: as implicações da reprodução humana assistida para a paternidade. Rev Dep Ciên Hum [Internet]. 2017 [citado 2020 Mar 28]; 49(1), 483-493. Disponível em: .

11. Matos MG, Magalhães AS, Feres-Carneiro T. Construindo o vínculo pai-bebê: a experiência dos pais. Psico-USF. [Internet]. 2017 [citado 2020 Maio 10]; 22(2): 261-271. Disponível em: .

12. Antunes JT, Pereira LB, Vieira MA, Lima CA. Presença paterna na sala de parto: expectativas, sentimentos e significados durante o nascimento. Rev enferm UFSM. [Internet]. 2014 [citado 2020 nov 02]; 4(3): 236-245. Disponível em: .

13. Vosgerau DSAR, Romanowski JP. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Rev Diál Educ [Internet]. 2014 [citado 2020 Out 22]; 14(41): 165-189. Disponível em: .

14. Cordeiro AM, Oliveira GM, Renteria JM, Guimarães CA. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Rev Col Bras Cirur. [Internet]. 2007. [citado 2020 Out 22]. 34(6): 429-430. Disponível em: .

15. Santos RS, Caires TLG. Sentimientos, sensaciones y emociones de los padres que experimentaron el nacimiento de sus hijos. Ciencia y Enfermeria. [Internet]. 2016. [citado 2020 Nov 16]. 22(1): 125-133. Disponível em: .

16. Fiterman H, Moreira LVC. O pai na gestação, no parto e aos três meses de vida do primeiro filho. Polis. [Internet]. 2018 [citado 2020 Mar 28]; 17(50): 47-68. Disponível em: .

17. Trindade Z, Cortez MB, Dornelas K, Santos M. Pais de primeira viagem: demanda por apoio e visibilidade. Rev Saúde Soc [Internet]. 2019. [citado 2020 Nov 16]. 28(1): 250-261. Disponível em: .

18. Oliveira AG, Silva RR. Parto também é assunto de homens: uma pesquisa clínico-qualitativa sobre a percepção dos pais acerca de suas reações psicológicas durante o parto. Rev Int Psicol [Internet]. 2013. [citado 2020 Nov 16]. 16(1): 113-123. Disponível em: .

19. Perdomini FRI, Bonilha ALL. A participação do pai como acompanhante da mulher no parto. Texto e contexto-enferm. [Internet]. 2011. [Citado 2020 Nov 17]. 20(3): 445-452. Disponível em: .

20. Castoldi L, Gonçalves TR, Lopes RCS. Envolvimento paterno da gestação ao primeiro ano de vida do bebê. Psicol estudo. [Internet]. 2014 [citado 2020 Out 29]; 19(2): 347-259. Disponível em: .
Publicado
2021-08-05
Seção
Artigo Original