MENSURAÇÃO DE EXERCÍCIOS POLIARTICULARES X MONOARTICULARES EM SÉRIES DE MUSCULAÇÃO NOS GANHOS DE FORÇA GLOBAL

  • Marcelo Romanovitch Ribas
  • Meire Ane Schimitka Pereira
  • André Gonçalves de Oliveira
  • Hyago José Cordeiro
  • Nathália de Andrade Fernandes
  • Julio Cesar Bassan
Palavras-chave: Musculação, Composição corporal, Exercícios Poliarticulares, Ganhos de força

Resumo

Introdução: O treinamento de força objetiva melhorar a força e hipertrofia muscular. Objetivo: Analisar o nível de força global em praticantes de musculação que utilizam exercícios poliarticulares em suas séries. Metodologia: Avaliou-se 20 homens praticantes de musculação com idade entre 20 e 41 anos. Os alunos foram divididos em dois grupos: Grupo GA, praticantes que faziam em suas séries de membros inferiores exercícios poliarticulares; Grupo GE, praticantes que faziam em sua série de membros inferiores exercícios monoarticulares. Os participantes realizaram uma avaliação antropométrica, teste de 1RM no agachamento, flexora e extensora e um teste de repetição até a falha concêntrica nas cargas de 80, 70 e 40% de 1RM. Resultados: A massa corporal para o GA e GE foi de 81,8 Kg e 82,7 kg, a massa magra 66,2 Kg e 66 Kg, o percentual de gordura de 9,0% e 15,4% respectivamente, com p=0,04. O teste de 1RM no agachamento e extensora para o GA apresentaram valores de 131 Kg e 72,5 Kg e para o GE 100 Kg e 63 Kg respectivamente p=0,05. Conclusão: Exercícios poliarticulares parecem ser mais eficientes para desenvolver força máxima e melhorar o perfil de composição corporal de praticantes de musculação com objetivo de melhorar a hipertrofia.
Publicado
2017-08-24
Seção
Artigo Original