AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DOS EXERCÍCIOS NEUROMOTORES NA FUNCIONALIDADE DE UM INDIVÍDUO PORTADOR DE ESCLEROSE MÚLTIPLA

  • Camila Fernandes dos Santos
  • Elizete da Silva
  • Danieli Isabel Romanovitch Ribas
Palavras-chave: Fisioterapia, esclerose múltipla, atividade física

Resumo

Introdução: com a evolução da esclerose múltipla ocorre destruição de fibras nervosas do trato córtico espinhal, o que afeta diretamente a força muscular, a agilidade, a coordenação e a flexibilidade, habilidades funcionais que possibilitam ao indivíduo desempenhar suas atividades diárias de forma independente. Uma das formas de minimizar o comprometimento motor na esclerose múltipla e consequentemente perda das habilidades funcionais é a realização de exercícios neuromotores, os quais, através de padrões essenciais do movimento humano, são capazes de criar um gesto motor específico em diversos planos de movimento. Objetivo: avaliar os efeitos dos exercícios neuromotores na funcionalidade de um indivíduo portador de esclerose múltipla. Metodologia: estudo longitudinal experimental do tipo estudo de caso, realizado com um indivíduo com esclerose múltipla, avaliado em relação à flexibilidade, coordenação, agilidade e equilíbrio pré e pós aplicação de 12 semanas de um programa de exercícios neuromotores , realizados duas vezes por semana com duração de 50 minutos cada sessão. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva. Resultados: os seguintes resultados foram obtidos pré e pós programa de exercícios respectivamente, flexibilidade 56 cm e 61 cm; agilidade 21,20s e 13,83s; coordenação 27,85s e 11,31s e equilíbrio 13 pontos e 14 pontos. Conclusão: com a realização deste estudo foi possível constatar que os exercícios neuromotores foram capazes de melhorar a agilidade e coordenação motora de um indivíduo com esclerose múltipla, não ocorrendo o mesmo para a flexibilidade e equilíbrio.
Publicado
2017-08-24
Seção
Artigo Original